Contato no Instagram: @casalviajandoporconta

JERICOACOARA


Localizada no litoral norte do estado do Ceará, esta antiga vila de pescadores, carinhosamente apelidada de Jeri, transformou-se em um dos destinos turísticos mais badalados do nordeste brasileiro. Toda esta fama não é à toa. Escondida em meio a um Parque Nacional de dunas de areia e de difícil acesso, a vila se mantém um pequeno oásis para quem quer fugir de toda correria e agitação dos grandes centros.

Vem comigo descobrir um pouco mais desse Paraíso.

Estivemos lá em Maio de 2017

COMO CHEGAR EM JERICOACOARA?

O primeiro ponto de chegada para todos que optam por vias aéreas é pela capital do Ceará, Fortaleza.

De lá, o transporte é terrestre.  As opções são:

1) Transporte público: esta foi a opção que escolhemos. A linha Fortaleza / Jericoacoara é operada pela empresa FretCar e as passagens podem ser compradas online através do site www.fretcar.com.br.  Cada trecho custou R$ 84,60 (R$ 169,20 ida e volta).  O ponto de partida principal é no Aeroporto Internacional de Fortaleza, mas há alguns horários em que o ônibus passa também pelo ponto de embarque em frente ao Hotel Beira Mar, na Avenida Beira Mar, onde há um quiosque empresa.

A viagem, embora longa (5 horas), é bastante confortável. Dependendo do horário de saída de Fortaleza, há uma parada para almoço no restaurante Castelo Encantado, em Acaraú. O restaurante é enorme, e o buffet é excelente, com vários pratos típicos nordestinos, por um precinho bem acessível (R$ 35,00 / kg).

Ao chegar em Jijoca de Jericoacoara (última cidade antes do Parque Nacional de Jericoacoara), todos os passageiros são transferidos do ônibus para os paus-de-arara, veículos 4×4 adaptados para o transporte coletivo. Em cada veículo vão em média oito pessoas e as bagagens. Dali os veículos seguem para a Vila de Jericoacoara em uma viagem de 1 hora atravessando as lindas dunas do Parque Nacional.

Chegando em Jericoacoara, nosso pau-de-arara passou em cada um dos hotéis de cada passageiro. Não sei se isso é uma prática comum, ou se demos muita sorte. Mas o ponto final é sempre na agência da FretCar, localizada na Rua São Francisco. Mesmo que seu pau-de-arara não lhe faça essa gentileza de te deixar na porta do hotel, não se preocupe, a vila é bem pequena, e pra qualquer lugar que você tiver que ir, levará só uns 5 minutos a pé.

Dica:

– Se decidir viajar durante o dia, saindo do Beira Mar, leve um boné e não esqueça do protetor solar, porque a espera é de baixo de sol.

– Leve água consigo, pois a FretCar não fornece.

– Procure viajar de mochila. Em Jeri as ruas são todas de areia, o que torna arrastar malas de rodinha impossível.

– Se você tiver a possibilidade, aconselho que se programe para que o trajeto de Jijoca para a Vila de Jericoacoara seja feito durante o dia, para aproveitar o visual maravilhoso.

2) Agências de Turismo: inúmeras empresas em Fortaleza oferecem o traslado Fortaleza X Jericoacoara. Funciona de forma parecida com o transporte público, porém o veículo te buscará onde estiver hospedado na capital. Certifique-se antes de fechar o passeio que o transporte será feito de ônibus, independente da quantidade de pessoas, porque o trajeto é longo e de van pode ficar bem desconfortável.

3) Veículo 4X4 privativo: você pode contratar um transporte privativo de Fortaleza para Jeri. Ele é oferecido também por diversas agências, e feito em caminhonetes 4×4 da capital diretamente para a Vila, sem a parada em Jijoca. A grande vantagem deste serviço é a rapidez e a desvantagem é o preço. Quando eu pesquisei, custava em média de 700 reais o veículo. Eles levam até 4 pessoas por viagem.

4) Veículo 4×4 compartilhado: você pode se juntar à outros viajantes e dividir um transporte 4×4. Há um grupo no facebook chamado Car Share Jericoacoara onde sempre há alguém oferecendo / procurando. Algumas agências também oferecem este serviço, porém a própria agência se encarrega de buscar outros clientes. Certifique-se, antes de fechar o negócio, que mesmo que a empresa não encontre alguém para compartilhar, o transporte será feito pelo mesmo valor. A média de preços é de R$ 150,00 por pessoa e também vão, no máximo, 4 pessoas por viagem.

OBS: Recentemente foi inaugurado um aeroporto em Cruz, cidade localizada a 48 km de Jericoacoara. Até a data desta postagem, apenas a Cia Aérea Azul estava autorizada a operar o destino. Portanto, esta é uma nova opção para chegar até Jeri, mais rápida e cômoda, porém muito mais cara.

VALE A PENA IR DE CARRO PARA JERICOACOARA?

Somente se for seu próprio veículo. Na vila não entram carros comuns, apenas buggys e 4×4. Os demais veículos ficam estacionados em Jijoca de Jericoacoara, ao custo de R$ 10,00 / dia. Mesmo para quem tem veículo 4×4, só vale a pena ir de carro se conhecer muito bem a região ou se contratar um guia para ajudar a atravessar o Parque Nacional. Acredite, num grande mar de areia, se perder é muito fácil.

O QUE LEVAR QUANDO VIAJAR PARA JERICOACOARA?

Em se tratando de Jeri, é muito mais fácil falar do que não levar, do que o contrário!

Tudo lá é muito simples, então não há a menor necessidade de levar aquela muda de roupa pra balada sempre presente nas malas, ou um sapato mais elegante. Em Jeri você só vai usar roupa de banho, saída de praia, roupinhas leves (shorts, camisetas, vestidinhos) e chinelos – mas eu estou falando de chinelo mesmo, estilo havaianas, viu mulheres! Tudo lá é pé na areia, então rasteirinhas de couro ou outros materiais ficam desconfortáveis e podem até estragar.

Leve também dinheiro em espécie. Eu li em vários blogs de viagem que em Jeri só tinha um caixa eletrônico do Banco Bradesco. Gente, esta informação NÃO PROCEDE viu??? Lá você encontra sim, caixa da Caixa Econômica e do Banco do Brasil. Acontece que nenhum deles (nem o do Bradesco) é um caixa eletrônico normal. Você vai procurar lojas representantes destes bancos. A do Bradesco, por exemplo, é um PetShop. O da Caixa Econômica é uma salinha comercial dentro de uma pequena galeria no Beco do Forro.

Eu sou correntista da Caixa e precisei sacar um dinheiro durante a viagem. Então é possível sim sacar dinheiro destes bancos, porém, a quantidade de notas em espécie disponíveis não é alta, então eles limitam o valor que cada cliente pode sacar por dia. No caso da Caixa, é R$ 500,00 e olhe lá. Eu saquei este valor para pagar um passeio, mas a pessoa que me atendeu fez uma cara de sofrência que meu deu até dó!

Então leve dinheiro sim, porque pode ser que chegue sua vez de sacar e não tenha mais dinheiro na “agência”. Mas se o dinheiro que você levar não for suficiente, não se desespere porque tem opção.

Quase todo mundo aceita cartão lá, porém alguns trabalham com um bom desconto para quem paga em espécie, o que compensa o trabalho de ir até a agência fazer saque.

QUAL A MELHOR ÉPOCA PARA IR PARA JERICOACOARA?

Jeri tem tempo bom o ano todo. Porém, como em todo o Nordeste brasileiro, os meses de Abril a Junho são um pouco mais chuvosos. Setembro a Novembro são os meses mais secos do ano, portanto a probabilidade de você pegar uma chuva é bem menor. Eu fui em Maio, peguei alguns dias nublados, outros de muito sol e apenas 1 de chuva. Conversando com os locais, pude perceber que o melhor mês para ir, para quem gosta de sossego, é em Setembro. Este é um mês de baixa temporada, com um movimento menor de turistas e poucas chuvas e, o melhor de tudo é que o período chuvoso vai ter acabado de terminar, o que significa que as lagoas vão estar cheias e lindas.

ONDE SE HOSPEDAR EM JERICOACOARA?

A vila é bem pequena, então não há nenhuma opção de pousada em que você vá ficar muito longe da praia.

Para quem procura sossego total, aconselho que busquem hospedagem na Rua das Dunas ou Rua São Franciso, região onde fica o Hotel Essenza (hotel mais luxo de Jeri). É uma região extremamente calma, muito próxima do mar e da Duna do Pôr-do-sol. Dali a caminhada até o centrinho, onde ficam os restaurantes e barzinhos, é de apenas 5 minutos.

Já para quem quer estar no meio do agito, optem por hospedagem na Rua Principal ou Rua do Forró.

Nós ficamos hospedados em uma casa, alugada pelo AirBNB (goo.gl/ZcHGuh), localizada na Rua das Dunas há 5 minutos de caminhada da praia,  da Duna do Pôr do Sol e do centrinho. A casa possui uma suíte (com um chuveiro MARAVILHOSO), uma cozinha, onde também há outra cama de casal (cozinha e cama separados por um balcão e um corredor), um segundo banheiro e varanda de frente para o mar, onde há uma mesa e redes.

O imóvel é rústico com telhado de sapê, muito confortável e exatamente o que eu procurava! O proprietário aluga para até 4 pessoas, que cabem confortavelmente. Porém, é importante ter em mente que não há uma porta entre a segunda cama e a cozinha, ou seja, nada de privacidade.

Não vou comentar o valor, já que varia muito de acordo com a temporada. Mas no link acima é possível conseguir a informação. O que posso afirmar é que o custo X benefício é excelente.

O QUE VER E FAZER EM JERICOACOARA?

Lagoa do Paraíso

Há três formas de fazer este passeio: de pau-de-arara, de buggy ou de quadriciclo.

Apesar do passeio de buggy e de quadriciclo passarem por outros pontos turísticos, como a lagoa azul, a árvore deitada e a pedra furada, nós optamos por fazer este passeio de pau-de-arara, a fim de economizar um pouco, já que o passeio de buggy custa R$ 200,00 (cabem até 4 pessoas) e o quadriciclo custa, em média R$ 300,00 para 2 pessoas.

Para ir de pau-de-arara não há necessidade de fazer agendamentos ou comprar antecipadamente. Basta ir até a rua principal e embarcar em um deles. Os motoristas ficam parados por lá esperando turistas. Para retornar, você pode já deixar combinado um horário com o motorista, ou pegar algum outro pau-de-arara que estiver passando. Este transporte custa R$ 20,00 por pessoa, por trecho, ou seja, R$ 40,00 ida e volta por pessoa.

Com um nome tão sugestivo como Lagoa do Paraíso, já dá pra imaginar o que você via encontrar por lá, não é?

Esta é a lagoa mais famosa de Jeri, com águas cristalinas e quentes. Lá você pode aproveitar para fazer algumas atividades náuticas como stand up padle e caiaque, porém a atividade favorita de todo mundo que vai lá é relaxar nas redes montadas dentro da lagoa.

Você vai poder optar entre os vários restaurantes pontos de apoio para passar o dia. O mais famoso deles é o The Alchymist Beach Club, e dizem que é o mais chique e o mais caro dos restaurantes da lagoa. Eu, que nem estive lá, não vou nem entrar nesses pormenores.

Nós ficamos no restaurante Nova Esperança, escolhido porque foi muito bem avaliado em blogs e sites que pesquisei antes de viajar, e porque prometia um precinho mais camarada. O restaurante é grande, com vários quiosques e redes.

O legal deste restaurante é que as redes não ficam tão pertinho assim umas das outras, então dá pra relaxar tranquilamente.

Comemos uma posta de peixe com baião de dois divinos. Adoramos! O atendimento é ótimo e o preço é justo.

Clique aqui para abrir o cardápio do Nova Esperança

Duna do Pôr-do-Sol

A duna fica na beira mar, num cantinho da praia de Jeri. De qualquer lugar onde você estiver na vila, o acesso a ela é fácil e rápido. Antes de ir, durante as minhas pesquisas, cheguei a pensar que iria ser desagradável subir a duna toda e ficar por lá um tempo, pois diziam que ventava muito, que a areia batia no corpo e machucava, que a subida era muito íngreme e cansativa. Não achei nada disso. A subida é bem tranquila de fazer, venta um pouquinho sim, mas nada demais, e o visual compensa qualquer possível desconforto.

Achei bem interessante observar todo o final de tarde, o êxodo dos turistas dos bares em direção à duna. O passeio não custa nada e o visual é incrível.

Dica: leve uma canga para sentar e aproveitar o espetáculo.

Pedra Furada

Estava ansiosa para escrever pra vocês sobre este passeio, pois tive algumas dúvidas antes da viagem, e eu quero explicar tudo!!! (rsrsrs)

A Pedra Furada fica em uma praia bem pertinho da praia principal de Jeri. Se fosse possível ir via beira mar, seria muito rápido chegar lá. Porém, por conta da subida da maré, não há acesso pela orla e o jeito é ir por dentro da vila. São aproximadamente 2 km.

Quem conhece o caminho, pode ir sozinho tranquilamente. Porém, se você é marinheiro de primeira viagem, espere até o final da tarde (se informe com os garçons nos barzinhos o melhor horário) e vá até a frente do restaurante Dona Amália. De lá, todos os dias, tem um senhor que leva os turistas até Pedra. Leve um dinheirinho consigo pra comprar alguma bebida deste senhor, pois é assim (vendendo bebidas) que ele ganha a vida.

A caminhada, em grande parte, é muito tranquila, porém, a Pedra Furada fica ao pé de uma ribanceira.

A descida é feita através de uma trilha de areia.

Após descer esta trilha, caminha-se um pouco pela orla até chegar na pedra furada.

A descida é tranquilíssima, mas o mesmo não pode ser dito do trajeto de volta. Há uma trilha de terra batida muito íngreme para subir a ribanceira. Pra quem é ativo, não é tão terrível assim, mas eu fico imaginando como pessoas com dificuldades de locomoção fazem para subir aquilo!!!

O que me trouxe mais dúvidas ao longo das minhas pesquisas foi se valeria a pena contratar o passeio de buggy para a Lagoa do Paraíso, ao invés de ir de 4×4, para ter acesso à Pedra, ou então ir à pedra de charrete (os táxis de Jeri rsrsrs). A minha conclusão foi que é desnecessário. Tanto o buggy quanto as charretes só conseguem chegar até o topo da ribanceira.  A descida (e consequentemente a subida) precisa ser feita a pé de qualquer forma, e esta é a parte que é cansativa.

Parece trabalhoso né? É um pouquinho mesmo. Mas vale a pena? Sim, com total absoluta certeza. O local é lindíssimo, as pedras na praia têm uma formação e coloração lindas. Eu amei! Dizem quem em Julho o sol se põe bem no centro da Pedra Furada, tornando a atração ainda mais deslumbrante.

Lagoa de Tatajuba

Assim como para a Lagoa do Paraíso, você pode fazer este passeio de buggy (R$ 250,00) ou de quadriciclo (R$ 300,00).

Como já havíamos feito dunas de buggy em Jenipabu / RN, resolvemos testar o passeio de quadriciclo e só posso dizer que foi totalmente sensacional!

Nos encontramos com a equipe da agência que contratamos às 09h em frente à sede da empresa. Antes de tudo, o pessoal dá uma mini aula de como controlar o quadriculo. Aparentemente é um mecanismo muito básico, mas tem que ter cuidado, porque o motor dele é muito potente.

Saímos por volta de 9h30, um guia com uma moto de trilha na frente, e nós, e outros 2 casais em 3 quadriciclos segundo a moto.

A princípio é tudo bem tranquilo, o passeio vai pela beira-mar, em terreno plano.

Depois de 15 ou 20 minutos, aproximadamente, chegamos no ponto onde há a travessia de balsa por um rio, para chegar até o mangue seco. A travessia é cobrada à parte e custa, se não me engano, R$ 10,00 por veículo.  Aqui já tivemos o primeiro desafio: colocar o quadriciclo na balsa. Pensa no medo de errar o trilho e cair na água!!! rsrsrs

Você será consultado sobre o interesse em conhecer o santuário dos cavalos marinhos. Esta é uma atração cobrada à parte e custa R$ 10,00 por pessoa. No nosso grupo ninguém teve interesse, então não fomos.

No mangue seco, ficamos por volta de 30 minutos. Há uma banquinha que vende bebidas (só em dinheiro) e nas raízes expostas da vegetação do mangue foram montados balanços, redes e mini trapézios que são diversão garantida para as crianças, grandes e pequenas. Sem contar que o visual é lindo e rende fotos muito bacanas.

Depois que saímos do mangue seco entramos de vez nas dunas e aí sim que a aventura realmente começou. O guia inicia a trilha por dunas menores para que todo mundo se acostume e realmente aprenda a usar o quadriciclo e, depois de um tempo, passa para as dunas maiores.

Não vou mentir não, teve momentos que eu fiquei apavorada! É uma sensação tipo de montanha-russa mesmo. Meu marido que estava pilotando, e ele já tinha certa experiência com quadriciclos, além de pilotar moto diariamente, o que ajudou muito, mas não estou bem certa se aconselharia para alguma pessoa completamente leiga a ter sua primeira experiência nestas dunas. Acredito que o buggy, nesse caso, seja mais seguro.

Durante esta parte do passeio, o guia faz várias paradas no topo de dunas altíssimas para fotos. Que vista senhoras e senhores! Que vista! O Parque Nacional de Jericoacoara é simplesmente maravilhoso!

Também é feita uma parada na Duna do Funil, que tem aproximadamente 70 metros de altura e é usada para a prática do famosíssimo skibunda.

Cada descida custa R$ 5,00 e termina em um banho na lagoa que fica ao pé da duna. Nós optamos por não fazer o skibunda e o motivo foi segurança.

Nosso guia, que é nascido e criado em Jeri, nos explicou que havia chovido há poucos dias por lá e que a chuva deixa a areia mais dura. Ele nos pediu para observar como estava sendo a descida dos outros turistas que lá estavam e como a prancha batia com bastante força na areia e não deslizava direito. Segundo ele, quando a areia está desta forma, a possibilidade de um acidente acontecer é muito grande (especialmente no que diz respeito à coluna) e que, por isto, ele desaconselhava a fazer a descida. A nossa parada ali foi de aproximadamente 40 minutos e o guia nos deixou à vontade para decidirmos se arriscaríamos o skibunda ou não.  Optamos, então, por seguir o conselho dele e aproveitar o tempo de parada para relaxar nos banhando na lagoa que estava com uma temperatura maravilhosa!

Dali, seguimos (mais uma vez com bastante emoção) rumo à lagoa Torta. Esta lagoa é diferente da lagoa do Paraíso, especialmente na cor. A água é bem mais escura e cheia de peixinhos. Nossa parada foi na Tapera do Kite, indicada pelo nosso guia. Como o nome já deixa a entender, o local é bem rústico e simples, localizado no meio do nada num mar de areia e, mesmo assim, lá tem Wifi, rsrsrs!!

Eles disponibilizam alguns quiosques na beira da lagoa com redes, além de pedalinhos, stand up paddle e um escorrega de lona (os três últimos por aluguel).

Pedimos o cardápio e tivemos uma baita surpresa quando descobrimos que ele vinha ao vivo e a cores:

Uma refeição para duas pessoas, composta por baião de dois, farofa, fritas e camarão custou R$ 80,00. Estava tudo uma delícia e fresquinho.

Ficamos na tapera por volta de 2h e depois era hora de voltar para a vila e finalizar o passeio. A volta ainda passa um pouco pelas dunas, mas é feito, em maior parte, pela orla.

O passeio foi excelente e o guia foi muito profissional e cuidadoso. Adoramos cada minuto da experiência!

COMO É A VIDA NOTURNA EM JERICOACOARA?

Não há nenhuma grande balada em Jeri, porém à noite o centrinho da cidade fervilha de gente. São inúmeras lojinhas, restaurantes e barzinhos, todos lindamente decorados.

Muitos bares oferecem música ao vivo, especialmente na Rua Principal, o que faz dela a rua mais movimentada de todas.

No final da Rua Principal, na beira-mar, ficam inúmeras vendinhas de drinks e em alguns finais de semana ali são feitas festas ao ar livre com DJ.

ONDE COMER EM JERICOACOARA?

Dumundo

Este barzinho sensacional fica localizado na beira mar de Jeri. Abre por volta de 10h da manhã e serve refeições e bebidas. Passamos boa parte dos nossos dias de praia nele, porque amamos o atendimento e amamos as músicas que lá tocam.

A comida é excelente, a bebida gelada, os drinks muito bem preparados, tudo isso por um preço justo.

Clique aqui para abrir o cardápio do Dumundo

Sem contar a lindíssima vista do pôr-do-sol.

Em alguns dias da semana o bar ainda oferece música ao vivo de qualidade no final da tarde. Super recomendamos!!!

Capitão Thomaz

O Capitão Thomaz é, na realidade, uma linda pousada beira mar, que abre seu restaurante para o público.  Você pode escolher entre sentar nas mesas com cadeiras, ou bem de frente para o mar nas mesas com espreguiçadeiras, porém, para a segunda opção é exigido consumo mínimo na mesa de R$ 50,00.

Como nos planejamos para almoçar por ali mesmo, optamos pelas espreguiçadeiras e passamos um dia confortável olhando para a linda orla de Jeri.

A comida é excelente e os drinks são maravilhosos. Olha essa apresentação gente!!!!

Meu único problema nesse restaurante foi a música ambiente que não me agradou nadinha! Mas em Jeri a gente releva tudo! rsrsrsrs

Clique aqui para abrir o cardápio do Capitão Thomaz

Samba Rock Café

A decoração é linda e tem ótimo atendimento. O bar tem música ao vivo todas as noites e está sempre cheio.

Não acho que seja o melhor local para jantar, pois as suas porções são pequenas e os preços altos, mas para curtir a noite é uma excelente opção.

Clique aqui para abrir o cardápio do Samba Rock

Pão com Carne

Como amamos um bom sanduíche, logo de cara nos interessamos por esta sanduicheria. Fica localizada logo atrás do Samba Rock Café e serve sanduiches simples, porém muito saborosos de (obviamente) pão com carne. O lanche é grande, mata a fome e tem um precinho camarada.

Gostamos tanto que voltamos outro dia para repetir a dose.

Dogão Lanches

Localizado bem ao lado do Samba Rock Café, na rua principal, a lancheria é uma ótima pedida  para quem quer comer por um precinho mais em conta, e de quebra curtir o som ao vivo que vem do barzinho do lado.

Clique aqui para abrir o cardápio do Dogão

Minha única ressalva vai para o banheiro. Ninguém merece lanchonete com banheiro nojento né?!

Estrela do Mar

Essa é a SUPER dica para quem quer comer uma refeição bem caseira, bem servida e muito barata. O restaurante é pé na areia, bem simplesinho. O dono é o cozinheiro e o garçom. Fica mais afastado do centrinho, na Rua das Dunas, atrás do Essenza.

Ele serve pratos feitos bem saborosos por um precinho bem camarada.

Clique aqui para abrir o cardápio do Estrela do Mar

Maramor

Paramos neste restaurante para tomar um suco apenas e ficamos encantados com a decoração e com o atendimento.

Ele fica na rua principal, bem pertinho do Samba Rock, e do lado de outro restaurante onde toca música ao vivo todas as noites.

Os sucos que tomamos eram divinos, e ainda pudemos aproveitar o som vindo do outro restaurante. Adoramos.

Clique aqui para abrir o cardápio do Maramor

Gelato e Grano

Não importa o que você planeje fazer em Jeri, ou quanto tempo você resolva ficar por lá, de forma alguma deixe de dar uma passadinha nessa sorveteria.

São dois pontos na cidade, um na pracinha atrás do Samba Rock e outro na Rua Principal, quase chegando à beira mar.

Foi, sem dúvida, o sorvete mais gostoso que já provei na vida! É carinho, mas vale a pena cada centavo!

Color Churros

É um quiosque localizado entre o Samba Rock e o Pão com Carne especializado em churros espanhóis.  Delicioso!!!

Andando pelo centrinho de Jeri, fotografei muitos outros restaurantes (e seus cardápios) que não tive oportunidade de visitar.

Clique aqui para ver outros restaurantes em Jeri

Comentários

comentários


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.