Contato no Instagram: @casalviajandoporconta

LENÇÓIS MARANHENSES – Parte I


Em nossas últimas férias, decidimos realizar um sonho antigo e FINALMENTE conhecer os tão famosos Lençóis Maranhenses.

Em meio a uma maratona de voos, transporte terrestre e fluvial, passamos por São Luis, capital do estado, pela agitada Barreirinhas, porta de entrada do Parque Nacional dos Lençóis, pela pacata Santo Amaro e a maravilhosa Atins.

Vem comigo que eu vou te contar tudo sobre esta experiência fantástica!!!

Vou dividir o texto em 3 partes (I para São Luís, II para Barreirinhas e Santo Amaro e III para Atins), assim consigo explicar como chegar em cada uma delas, caso você não tenha a possibilidade de visitar tudo de uma só vez.

Esta viagem foi feita em Junho/2019.

SÃO LUÍS

Durante a minha pesquisa sobre o destino, para elaboração de nosso roteiro, li em vários sites e blogs que não há muito que se fazer em São Luís, sendo a capital apenas um ponto de partida para os Lençóis. Porém, eu já vou começar esse post refutando esta ideia.

São Luís é uma capital bem arborizada e cheia de contrastes. De um lado você encontra um centro histórico, com suas ruas de pedras e cerca de 4 mil construções antigas, em estilo francês ou português, que lhe renderam o título de Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO. Do outro você encontra bairros nobres com construções modernas, hotéis, condomínios luxuosos e shoppings enormes.

Mesmo em seu litoral os contrastes estão presentes, já que por conta de sua proximidade com a Linha do Equador, a maré chega a ter variações de 7 metros, fazendo com que a paisagem se altere completamente em questão de horas.

Apesar de seu nome oficial ser São Luís, a capital é conhecida por inúmeros apelidos carinhosos: Jamaica Brasileira, pelo reggae ser uma parte forte de sua cultura, Ilha do Amor, título inspirado em letras de músicas sobre a cidade, Cidade dos Azulejos, pelas suas típicas construções decoradas com azulejos portugueses encontradas no centro histórico, e Atenas Brasileira, por sua riqueza e variedade intelectual e artística.

Em São Luís você pode visitar museus, conhecer suas praias, aproveitar a culinária local, e se você se organizar para estar lá nas duas últimas semanas de Junho, ainda pode participar de uma das festas populares mais lindas do Brasil, o São João Único.

QUANDO IR PARA SÃO LUÍS?

A melhor época para visitar a capital maranhense certamente é o mês de Junho, durante a linda festa de São João.

ONDE SE HOSPEDAR EM SÃO LUÍS?

As áreas mais indicadas para hospedagem na capital são no Centro Histórico, nos hotéis feitos dos antigos casarões, ou na região da Lagoa da Jansen, onde estão os hotéis maiores e mais modernos.

Optamos pela região da Lagoa da Jansen, e gostamos muito da experiência. Além de muito bonita, a região fica no meio do caminho entre as praias mais bonitas da cidade e o centro, barateando o custo de transporte.

Nos hospedamos no Stop Way Hotel, que embora não esteja na beira mar, fica muito próximo, sem nenhuma outra construção alta entre ele e a praia. Fomos acomodados em um apartamento no oitavo andar frente mar, e a vista não poderia ser mais deslumbrante.

A cama do hotel é bastante confortável, o ar condicionado funciona perfeitamente, a ducha é divina, e o quarto dispõe de TV e secador de cabelos. O café da manhã do hotel é muito bom, bem completo, e a equipe da recepção é muito atenciosa. O único ponto que não gostamos no apartamento foi a localização estranha das tomadas.

Pagamos o valor de R$ 160,00 na diária, que é bem equivalente ao padrão do hotel. Aprovado e recomendado.

O QUE LEVAR PARA SÃO LUÍS?

Apesar de seu litoral, os principais atrativos de São Luís estão na cidade mesmo, portanto roupas leves e um sapato confortável (tênis) são altamente recomendados. Além disto, o protetor solar é essencial.

O QUE FAZER EM SÃO LUÍS?

Visitar suas praias

Apesar de seus 32 Km de litoral, as praias de São Luís não configuram entre seus principais atrativos. Embora o mar não tenha aquela cor azul caribe, normalmente vista no nordeste, já que a presença de algas pardas dá um tom acinzentado à água, não é a aparência de suas praias ou problemas de infraestrutura que não as tornam atrativas. O que diminui a atratividade é o simples fato de que TODAS elas são poluídas e, portanto, impróprias para banho.

Porém, mesmo sem poder dar aquele mergulho no mar, a visita às praias ainda vale a pena, e muito!

Nós passamos uma tarde muito gostosa na praia do Calhau, e escolhemos como ponto de apoio a Barraca do Samuka, onde tomamos algumas cervejas bem geladinhas e comemos uma fantástica porção de peixe muito bem servida.

Praia Ponta D’Areia

Esta é a praia central da cidade, e consequentemente a mais poluída. Muito frequentada pelos locais, é cercada por grandes edifícios residenciais e hotéis luxuosos. É onde fica o Espigão Costeiro, um atrativo bastante conhecido da cidade que rende fotos lindas.

Nela, você também encontrará o lindíssimo mural do Eduardo Kobra, feito em homenagem aos 405 anos da cidade, e inspirado nos títulos da capital de Atenas Brasileira e Patrimônio Cultural da Humanidade. O mural fica próximo ao Hotel Praia Ponta D’Areia, há 1 quadra da beira mar e há 1,3 Km do espigão.

Praias São Marcos, Calhau, Caolho e Olho D’água

Após passar da praia Ponta D’Areia, há uma Avenida Litorânea passando por estas 4 lindas praias, iniciando em São Marcos, onde fica a Praça do Pescador, com seu famoso Monumento aos Pescadores, chamado de “Arrastão”, do escultor maranhense Cordeiro, seguida por Calhau, Caolho e Olho D’água.

Ao longo de toda a avenida há pista de corrida e inúmeros quiosques grandes, todos padronizados, construídos pela prefeitura, explorados pelo setor privado em sistema de concessão. No outro lado da rua, é possível encontrar inúmeros restaurantes (alguns muito famosos) e bares.

City Tour

Para quem é apreciador de história, São Luís é um prato cheio. A capital é a única cidade brasileira fundada por franceses (em 1612). Posteriormente foi invadida por holandeses e, por fim, foi colonizada por portugueses. Toda esta mistura resultou em um centro histórico bastante interessante e diverso.

Pensei muito em realizar o passeio pelo centro histórico por conta própria, e até fomos lá sozinhos para perambular e tirar fotos, porém, como entender a história e cultura do local é primordial para nós, optamos por contratar uma agência para termos um guia especializado conosco. A agência que escolhemos foi a Taguatur, e pagamos o valor de R$ 100,00 por pessoa por um tour coletivo, que no final das contas acabou sendo privativo, pois estávamos apenas nós dois e o guia.

A agência designou o guia Sérgio para nos atender, e a única coisa que eu posso fazer é dizer à Taguatur: muito obrigada. Que profissional sensacional! O Sérgio tem um conhecimento profundo da cidade, e claramente gosta muito do seu trabalho, além de ser um excelente fotógrafo.  Ele chegou em nosso hotel pontualmente às 08h30, com uma Duster novinha e limpinha, e nos levou para o passeio.

Começamos pela litorânea, passando pelas praias de São Marcos, Calhau, Caolho e Olho D’água, onde o Sérgio nos contou um pouco sobre a característica de cada uma, mostrando os melhores restaurantes e barracas de praia, com paradas estratégicas para fotos.

Resumidamente, vou passar aqui os restaurantes e barracas que ele citou, pois não tivemos a oportunidade de conhecer todos pessoalmente: em Calhau a barraca indicada foi a Landruá, em Caolho a do Henrique e em São Marcos as da Marcela e Estrela D’Alva. Os restaurantes indicados foram Petiscaldos, Feijão de Corda e Cabana do Sol.

Na sequência fomos à Praia Ponta D’areia, região mais nobre da ilha, para ver de perto o espigão.

Depois fomos até a Lagoa da Jensen, onde conhecemos a lenda da serpente encantada de São Luís. Reza a lenda que há uma serpente encantada habitando as galerias subterrâneas do centro histórico, nascida no Forte de São Luís no século XV, que cresce sem parar, e continuará crescendo até que sua cabeça encontre sua calda. Quando isso acontecer causará o completo desaparecimento da cidade, que será levada para o fundo do mar. Já pensou????

Ali também conhecemos a praça da lagoa, com sua imensa área de lazer para crianças e um daqueles famosíssimos letreiros com o nome da cidade, que turista ama de paixão (inclusive a gente).

Na Lagoa, o guia nos indicou o restaurante Buteko da Lagoa.

Dali, seguimos para o centro histórico. Começamos nosso tour pela Praça dos Catraieiros, onde a cidade se enfeita para a festa de São João. Sabe aquelas bandeirinhas coloridas que cobrem as ruas da capital que costumamos ver pela TV? Pois é disso mesmo que estou falando.

Fizemos uma caminhada pelas ruas desta região, observando seus casarões, onde realmente é possível notar a influência da arquitetura francesa.

Paramos em lojas de souvenirs, no Mercado das Tulhas e na Praça Nauro Machado. 

Passamos pela famosíssima Rua Portugual, com suas construções históricas decoradas com azulejos portugueses.

Depois fomos visitar a Casa do Tambor de Crioula.

E o Museu do Reggae.

Dali, seguimos até o Palácio dos Leões, sede do Governo do Estado do Maranhão, onde são feitas visitas guiadas gratuitas.

Entramos na Catedral de São Luis, mas não nos demoramos muito ou fotografamos, pois uma missa estava em andamento.

E, por fim, fomos até a Praça Benedito Leite, onde finalizamos nossa visita. Aqui o guia te oferece a opção de permanecer no centro para almoço, dando algumas indicações de restaurantes, ou de retornar para o hotel.

Dicas sobre este passeio:

– Escolha roupas confortáveis e dê preferência a tênis;

– Aconselho que este passeio seja feito no início da sua viagem, pois dá uma visão geral da cidade, ajudará você a se localizar, e o guia realmente dá muitas dias interessantes que você vai poder aproveitar ao longo de sua estadia.

– Alguns museus são fechados nas segundas-feiras, portanto é melhor deixar para outro dia da semana.

Ribamar e Raposas

Pensamos muito sobre fazer este passeio por conta própria, usando serviços de táxi. Porém, como a tábua de marés na região é bem diferente do que estamos acostumados, acabamos optando por contratar a agência Taguatur novamente, para evitar de perder o passeio de barco por algum erro bobo de cálculo de tempo.

O valor do tour coletivo também foi de R$ 100,00 por pessoa, porém desta vez realmente havia outras pessoas conosco. Às 07h10 da manhã, conforme combinado, chegou uma Doblô de 7 lugares com motorista da agência para nos buscar. Passamos pelo local de hospedagem dos outros dois casais que nos acompanharam, e seguimos para o passeio.

O primeiro ponto de visitação é Raposas, a maior colônia de pescadores do Maranhão, onde fizemos um passeio de barco pelo mangue até chegarmos às Fronhas Maranhenses, que são uma versão bem menor e menos famosa dos Lençóis. 

Este local é um berçário da natureza, e é onde você vai encontrar a única praia balneável da ilha. O barqueiro, que também atua de guia, te leva pelas dunas até o mar, onde você terá um tempo para finalmente dar aquele mergulho!

De volta à vila, embarcamos no carro e seguimos até a rua das rendeiras, onde são vendidas as tradicionais rendas de bilro.

Após as compras, o guia nos levou até o restaurante O Capote, para almoço. O local é amplo, com inúmeras mesas, e o cardápio tem os mais variados pratos da culinária típica do Maranhão, como camarões grelhados, carne de sol e arroz de cuxá, com preços bem condizentes com o aplicado em São Luís. Comemos um camarão grelhado maravilhoso!

Após um bom tempo para almoço e descanso, voltamos ao carro para ir a São José do Ribamar, um destino mais religioso. Lá conhecemos a Igreja Matriz de São José, com sua praça com inúmeras estátuas que representam passagens bíblicas.

Ao final da praça há uma concha acústica em formato de livro aberto, onde apresentações artísticas são feitas esporadicamente.

E ao lado da concha ficam o Monumento a São José de Ribamar, e a Gruta de Lourdes.

Dicas sobre este passeio:

– Se possível, agende este passeio para os finais de semana. Durante a semana a procura é menor, e por muito pouco não tivemos nosso passeio cancelado de última hora, pois não havia o número mínimo exigido para a saída do barco.

– Leve água, pois na primeira parte do passeio (em Ribamar) não há onde comprar antes do barco sair.

– Este é um passeio de um dia inteiro. Chegamos no hotel por volta de 16h.

– Dependendo da tábua de maré, o roteiro pode ser invertido, para iniciar em Ribamar, e seguir a Raposas pela tarde.

Feirinha de São Luís

Todos os domingos pela manhã, acontece na Praça Benedito Leite, localizada no centro histórico da São Luís, uma feirinha de artesanato e comidas típicas. Nós, que adoramos uma, corremos para lá.

A feira é linda, cheia de gentes e sabores e cores! Se você passar por lá durante as festas de São João, ou em algum feriadão, vai encontrar apresentações de capoeira, palco com shows de artistas locais e muita festa.  Estivemos por lá no domingo do dia 16/06 e demos a baita sorte de ser a comemoração do aniversário da Feira. A feira estava cheia de vida, e tinha até um bolo enorme para ser distribuído para a população.

Como tínhamos outras coisas para ver e fazer na cidade, não pudemos ficar lá todo o tempo que queríamos, mas depois ficamos sabendo que a feira se desenrolou até à noite, com várias apresentações.

Tambor de Crioula

Ao lado da praça Nauro Machado você vai encontrar a Casa do Tambor de Crioula, que é um centro de pesquisa desta manifestação artística também conhecida como Pungá, de origem africana, que era praticada por escravos em louvor à São Benedito.

Eu já mencionei este lugar quando contei para vocês como foi o nosso city tour. Naquele momento, tivemos a oportunidade de dar uma volta por dentro da casa, acompanhados gratuitamente de uma monitora que nos levou por uma mostra de itens da cultura do tambor, bem como nos contou a história da dança.

A exposição permanente tem visitação aberta de terças a sábados, das 09h às 18h e domingos das 09h às 13h. Já sextas e sábados das 14h às 18h há apresentações da dança.

Nós que chegamos num sábado na cidade sem saber desta informação, já ficamos chateados que não deu para ver nenhuma apresentação. Porém a monitora nos informou, para nossa surpresa e alegria imensa, que estávamos exatamente no Dia do Tambor de Crioula, e que naquela noite aconteceriam várias apresentações ali na casa. Óbvio que à noite voltamos correndo para lá para conferir de perto esta lindeza. Que sorte! Para constar, o Dia do Tambor de Crioula é 18 de Junho.

São João Único

A festa de São João é comemorada em todo o país, porém é no nordeste que esta festa se torna grandiosa. No Maranhão a festa é parte presente e constante da cultura local, sendo celebrada por semanas, em inúmeros “arraiás” espalhados por todas as cidades.

Na capital, cerca de 1.300 apresentações artísticas foram feitas durante a festa em 2019, que teve seu início oficial no dia 19 de Junho, com um show gratuito do grande Alceu Valença, e foi até 30 de Junho.

As grandes estrelas dos “arraiás” do Maranhão são os seus grupos de Bumba meu Boi, que ensaiam o ano inteirinho, para este momento. Ver de pertinho uma apresentação destas é uma experiência fantástica! É possível ver estampada no rosto de cada participante de cada grupo a imensa paixão que eles têm pelo Boi.

Para os turistas pode ser um pouco difícil de entender os calendários de festas e eventos divulgados pelo governo. Então vou tentar dar uma pincelada aqui no que eu consegui entender, e se alguém lendo aí ver alguma informação errada, fique a vontade para me corrigir nos comentários 😉

São seis “arraiás” oficiais em São Luís: o São João Ipem, o 4 Mãos (no estacionamento do Shopping são Luís), no Shopping Ilha Bela, na Praça Nauro Machado, o Arriá do Povo (no estacionamento da Assembleia Legislativa), e na Praça Maria Aragão (onde os maiores shows gratuitos com artistas nacionais acontecem). Cada um deles tem programações em dias diferentes.

  • O São João Ipem tem apresentações gratuitas diárias no período do calendário oficial.
  • O 4 Mãos tem início antes da programação oficial. Em 2019 começou em 15 de Junho, e teve apresentações diárias até 29 de Junho. A maior parte dos dias a entrada é franca, porém nos finais de semana há shows de artistas nacionais e cobrança de entrada. A estrutura física deste arraial é considerada a melhor da cidade.
  • O Shopping da Ilha inicia ainda mais cedo, tendo sua primeira apresentação de 2019 no dia 07/06, seguida de apresentações diárias até 23/06. Os shows são feitos na praça de eventos do shopping.
  • Na Praça Nauro Machado, toda decorada com as famosas e formosas bandeirolas, tem arraiás com entrada franca as sextas e sábados, nos três últimos finais de semana de Junho.
  • O Arraiá do Povo é feito no estacionamento da Assembléia Legislativa e tem programação em apenas um final de semana (sexta a domingo). Em 2019 foi nos dias 14, 15 e 16.
  • E finalmente o Arriá da Praça Maria Aragão, que é o feito pelo Governo do Estado, e tem uma mega estrutura com entrada franca todos os dias. É nesta praça que o São João de São Luís é oficialmente aberto, normalmente com apresentações artísticas de grande peso nacional. Este ano ele foi de 19 a 30/06.

Aliás, uma sugestão aos colegas maranhenses que organizam esta festa é que divulguem o calendário mais cedo, para facilitar a vida dos turistas.

Além de desvendar o calendário das festas, também é bem interessante aprender um pouquinho sobre o sotaque de cada Boi, que são o de Matraca, Zambumba, Orquestra, Baixada e Costa de Mão. Pra quem quiser entender melhor dá uma olhadinha nesse site: http://kamaleao.com/saoluis/7902/sotaques-de-bumba-meu-boi.

ONDE COMER EM SÃO LUÍS?

Cabana do Sol

Um dos restaurantes mais indicados de São Luís pelos sites e blogs de turismo, o Cabana do Sol faz jus a sua fama, servindo, com muita cordialidade e presteza, os mais tradicionais pratos da culinária maranhense. São dois restaurantes na cidade, sendo um na Ponta d’Areia e outro na Praia de São Marcos.

Tivemos no da Praia de São Marcos, que tem uma grande estrutura para comportar vários grupos de uma única vez. A decoração é rústica e de muito bom gosto, e as mesas ficam no segundo andar, onde há um janelão que proporciona uma vista deslumbrante do mar.

Fomos muito bem atendidos e a nossa refeição ficou pronta rapidinho. Pedimos uma Carne de Sol de Filé, que vem acompanhada de arroz branco, baião de dois, feijão de caldo com maxixe quiabo e abóbora, paçoca (farofa), mandioca cozida, purê de mandioca e banana à milanesa. Seguimos a dica do garçom, e optamos pela meia porção, que foi mais do que suficiente para duas pessoas. O preço é um pouco mais alto do que você pagaria em restaurantes menos famosos, mas a comida é maravilhosa e vale o valor cobrado.

Aproveito para sugerir que experimentem o suco de Bacuri deles, que é fantástico.

Não fotografei o cardápio, pois no site do restaurante é possível visualizá-lo http://www.cabanadosol.com.br/delivery.

Cafofinho da Tia Dica

Esse restaurante, que fica bem escondidinho no centro histórico da cidade, também é um dos mais indicados de São Luís. Falando sobre estrutura e decoração, o restaurante não chama muito atenção, pois é bem simples. Mas a comida é muito gostosa.

O prato mais famoso da Tia Dica é o Arroz do Mar, que é uma espécie de risoto de frutos do mar. Pedimos ele, mas depois acabamos nos arrependendo da escolha, quando vimos os pratos das mesas vizinhas chegarem. Não que o nosso não estivesse gostoso, longe disso, porém achamos que tinha muito mais arroz do que frutos do mar nele, ao contrário de outras opções do cardápio. Então eu certamente indico o restaurante, porém sugiro que escolham outro prato.

Os preços do restaurante são bacanas e o atendimento bom, porém um pouquinho devagar (mas talvez seja porque o restaurante estava completamente lotado quando fomos).

Petiscaldos

Para quem é do sul, como eu, pode parecer um tanto estranho indicar alguém a tomar sopa no calor do nordeste, não é? Mas acreditem, tomar um caldo por lá é bastante comum, e em várias capitais que eu visitei encontrei buffets de caldos e sopas maravilhosos. Em São Luís não foi diferente.

O Petiscaldos é uma rede com 3 restaurantes da na cidade, que serve um pouco de tudo, como petiscos, pizzas, refeições, espetinhos, lanches, salgados e massas; mas tem como seu carro chefe os caldos. São inúmeras opções para agradar todos os paladares, sempre com porções muito bem servidas, a um preço camarada. Simplesmente adoramos!

Comentários

comentários


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.